You are viewing archived content
of the Inter-American Foundation website as it appeared on June 1, 2018.

Content in this archive site is NOT UPDATED.
Links and dynamic content may not function, and downloads may not be available.
External links to other Internet sites should not be construed as an endorsement of the views contained therein.
Go to the current iaf.gov website
for up-to-date information about community-led development in Latin America and the Caribbean.

Bolívia

Print
Press Enter to show all options, press Tab go to next option

Carteira vigente

Donatários ativos: 12
Recursos comprometidos pela IAF: US$ 4.332.353
Montante dos recursos de contrapartida: US$ 5.834.125
Investimento total: US$ 10.166.378
Áreas de ênfase: Agricultura (agrossilvicultura, animais domésticos e cereais de origem andina), educação/treinamento (adultos), desenvolvimento empresarial, autonomia indígena, têxteis e outros artesanatos, inclusão de comunidades indígenas e mulheres, expressão cultural

 

 

 

Informações de contato:

Jeremy Coon, Representante da IAF
Claudia Kaupert, Assistente de Programas
Rita Murillo, Apoio Local

Donatários ativos

O Instituto para el Hombre, Agricultura y Ecología (IPHAE) vai expandir e consolidar parcelas diversificadas localizadas em áreas florestais secundárias e degradadas, apoiar a suinocultura e a apicultura e desenvolver produtos processados a partir do cacau, pupunha e outras plantas nativas. Prevê-se que 500 famílias de 60 comunidades em cinco municípios do departamento de Beni se beneficiem de um abastecimento alimentar mais confiável e uma melhor renda. Também se beneficiarão da adoção de uma tecnologia de agricultura agroflorestal sustentável para essa micro-região amazónica.

O Centro de Investigación y Servicio Popular (CISEP) empreenderá, juntamente com mulheres de 14 cooperativas de mineração do departamento de Oruro, um projeto cuja meta é melhorar a produtividade, renda e padrões delas de ambiente e segurança no trabalho. Receberão maquinaria, equipamentos, ferramentas e material de segurança, bem como treinamento e assistência técnica pertinentes.

A Asociación de Mujeres Aymaras Lecheras de Irpa Chico (AMALIC) e seus 70 afiliados, a maior parte da qual são mulheres aimarás de quatro comunidades do município de Viacha no altiplano boliviano, melhorarão a produção de seu laticínio. As pecuaristas aprenderão aptidões técnicas relativas à gestão do gado, a gestão das terras de pastagem, o processamento e a comercialização. O município comprará alguns produtos da AMALIC para seu programa de café da manha escolar.

A Asociación de Artesanos Andinos (AAA) continuará a revitalizar as tradições locais relativas aos tecidos andinos e realizará um programa de turismo comunitário para fornecer, entre outros benefícios, mais oportunidades de marketing para 350 tecelões e tecelãs quéchuas e aimarás de 19 comunidades do departamento de Cochabamba.

A Protección del Medio Ambiente Tarija (PROMETA) trabalhará com 1.059 famílias de 50 comunidades dos municípios de Yunchará e El Puente, situados no altiplano do departamento de Tarija, para melhorar a produção e comercialização de camelídeos e beneficiar o meio ambiente. Os pastores adquirirão as aptidões necessárias para recuperar recursos naturais, administrar prados, produzir cultivos apropriados para forragem e proteger recursos hídricos.

Fundación Antropólogos del Surandino (ASUR) formará 200 jovens bolivianos de baixa renda de 10 comunidades nos municípios de Tinquipaya e Caiza, Potosí, para que obtenham as habilidades necessárias para produzir bordados, ourivesaria, têxteis tradicionais, artigos de couro, esculturas em madeira, queijo de cabra, roupas e outros itens e para que aprendam a lidar com gestão financeira, marketing e outros conhecimentos. A colaboração com o governo no âmbito do ensino profissional deverá dotar mais 80 alunos das qualificações necessárias para trabalhar no processamento de alimentos, carpintaria, construção, soldadura e instalação de instalações elétricas e de saneamento. A ASUR ajudará artesãos organizados em unidades a desenvolver suas técnicas e projetos, a melhorar a qualidade e diversidade de seus produtos e a obter acesso aos mercados.

O Centro de Investigaciones de Energia y Población (CIEP) e suas organizações parceiras integrarão artesãos, agricultores, estudantes e outros residentes de 10 comunidades aimarás rurais na indústria do turismo no município de Batallas, perto do lago Titicaca, por meio do desenvolvimento de um circuito turístico que lhes permitirá trabalhar como guias e vender alimentos, artesanato e serviços aos visitantes bolivianos e internacionais. O projeto deverá beneficiar 300 bolivianos diretamente e outros 900 indiretamente.

Fundacion Centro Arakuaarenda (Arakuaarenda) irá oferecer um programa educacional que afetará 1.200 jovens Guarani em Charagua e Gutiérrez, departamento de Santa Cruz. O objetivo é reforçar sua identidade cultural, incentivar o exercício de seus direitos constitucionais e criar uma série de organizações locais e regionais em que se pode articular suas necessidades, queixas e propostas concretas para uma maior inclusão como um setor dentro do processo de modelação de estruturas municipais indígenas autônomas.

O Instituto de Formación Femenina Integral (IFFI) construirá a liderança e a capacidade de organização e advocacia da Plataforma de Mujeres por la Ciudadanía y la Equidad de Cochabamba (PMCE), uma rede de 100 organizações para mulheres localizadas na região metropolitana de Cochabamba, a fim de promover os direitos das mulheres e colocar a PMCE no caminho para a autonomia institucional. Aproximadamente 1.780 mulheres se beneficiarão diretamente e 111.350 pessoas se beneficiarão indiretamente.

A Fundación Taller de Iniciativas en Estudios Rurales y Reforma Agraria (TIERRA) adaptará e pilotará um modelo de tomada de decisão em dois municípios no altiplano da Bolivia. O modelo  possibilitará às communidades maneiras de se relacionar com autoridades municipiais na promoção de políticas públicas e programas priorizados. Melhorará o acesso das comunidades às informações sobre o uso e arrendamento da terra, censo agrícola e outros dados. A TIERRA logo sensibilizará para o uso das informações para fortalecera a participação dos afiliados nas comissões económicas municipiais e outros fóruns públicos. Os produtores rurais empoderados para participar nos espaços comuns de tomada de decisão poderão advogar com mais eficácia um maior investimento nos projetos agrícolas e produtores de desenvolvimento . Cerca de 800 pessoas se beneficiarão diretamente e 22.000 indiretamente. 

A Asociación de Mujeres Unidas Para el Desarrollo Sostenible (ASMUDES) trabalhará para aumentar a renda de cinco comunidades indígenas que estão localizadas numa zona protegida reconhecida a nível nacional em promovendo práticas sustentáveis e agriculturais e em melhorando o marketing de produtos de frutas e de valor-agregado. O projeto incorporará práticas como a plantação de vegetação nativa entre culturas para aumentar a diversidade, produtividade, rentabilidade, saúde, ecologia, e sustentabilidade dos sistemas agroflorestais. Também fortalecerá a capacidade organizacional e de marketing de duas associações produtoras para promover mais acesso a recursos alimentares estáveis para suas famílias. Os produtos excedentes podem ser vendidos em suas comunidades e em centros urbanos regionais para consumidores procurando produtos saudáveis. As atividades da ASMUDES fortalecerão as habilidades de liderança das mulheres e jóvens que querem promover sua participação na liderança comunitária e sua capacidade aperfeiçoada para engajar e tomar decisões a nível municipal. Em torno de 1.390 pessoas beneficiaram diretamente e 10.350 beneficiaram indiretamente.  

A Fundación RENACE - Red Nacional de Acción Ecológica (RENACE) trabalhará com cinco empreendimentos comunitários liderados por mulheres na região de Alto Beni, incluindo um empreendimento dos indígenas Moseten e quatro empreendimentos indígenas interculturais para gerar renda e emprego, conservar a biodiversidade, melhorar a segurança alimentar e fortalecer sua capacidade de defender seus direitos sob a lei boliviana. As atividades do projeto fortalecerão e promoverão a produção e a comercialização das empresas comunitárias em ecoturismo, artesanato e cultura, além de produtos agroecológicos com valor agregado. Com o fortalecimento das empresas comunitárias para que operem independentemente, elas terão uma melhor possibilidade de fornecer produtos e serviços para a comunidade, como o fornecimento de café-da-manhã escolar, serviços de buffet para empresas locais e a promoção de sua cultura, idioma e história através do ecoturismo, o que ajuda os Moseten e outras comunidades indígenas a melhorar sua qualidade de vida e a defender seus direitos. Cerca de 900 pessoas serão beneficiadas diretamente, e outras 2.890 indiretamente.