You are viewing archived content
of the Inter-American Foundation website as it appeared on June 1, 2018.

Content in this archive site is NOT UPDATED.
Links and dynamic content may not function, and downloads may not be available.
External links to other Internet sites should not be construed as an endorsement of the views contained therein.
Go to the current iaf.gov website
for up-to-date information about community-led development in Latin America and the Caribbean.

Panamá

Print
Press Enter to show all options, press Tab go to next option
Carteira atual

Donatários ativos: 13

Recursos da IAF: US$2.580.305

Contrapartida: US$2.602.372

Investimento total: US$5.182.677

Áreas de ênfase: Agricultura (orgânica), acesso a água, desenvolvimento de artesanato, inclusão de indígenas e mulheres.

Novas doações

Asociación Nacional para la Conservación de la Naturaleza (ANCON), US$262.000 por três anos; contrapartida comprometida: US$279.100.

A ANCON vai trabalhar com grupos de afrodescendentes e indígenas em 10 comunidades na Reserva Punto Patiño (Darien) para realizar estudos de viabilidade e fornecer financiamento para micro e pequenas empresas compatíveis com o uso responsável do meio ambiente. O projeto vai beneficiar 200 empresários diretamente e 2.000 moradores indiretamente. (PN-302)

Asociación Panameña para la Sostenibilidad de la Agricultura y la Naturaleza
(APASAN), US$166.250 por dois anos; contrapartida comprometida: US$174.605.

A APASAN vai trabalhar com o Consejo Consultivo de Subcuencas de los Ríos Los Hules-Tinajones y Caño Quebrado para constituir legalmente e desenvolver uma federação de 22 organizações e reflorestar aproximadamente12 hectares da bacia alta, melhorando a qualidade da água para 2.570 habitantes do distrito de La Chorrera nas regiões de Amador, Arosemena, Medoza e Iturralde. (PN-301)

Doações suplementares

Club Rotario de David
, US$37.300; contrapartida comprometida: US$10.700.

O Club Rotario de David vai avaliar o impacto de seu programa quinquenal sobre 2.000 indivíduos em 44 comunidades na Comarca Ngöbe Buglé. (PN-285-A7)

Asociación Pro-Artesana Panameña
(PRO-ARTESANA), US$76.350 por 18 meses; contrapartida comprometida: US$74.760.

A PROARTESANA vai continuar trabalhando para melhorar as habilidades, renda, orgulho cultural e participação no mercado de 350 artesãos, em sua maioria mulheres, da Cidade do Panamá, províncias centrais, reservas indígenas e outras áreas. Ela espera abrir cinco novos mercados e obter autossuficiência financeira. (PN-290-A3)

Fundación de Organizaciones Campesinas e Indígenas de Veraguas (FOCIV), US$93.200 por 18 meses; contrapartida comprometida: US$60.510.

Através da Asociación de Desarrollo Integral Comunitario (ADICO), a FOCIV vai capacitar 20 organizadores comunitários para fornecer assistência técnica a 300 agricultores e artesãos de modo a melhorar o acesso aos mercados. Alguns aprenderão a construir e instalar fogões eficientes e biodigestores. (PN-293-A1)

Protegendo a Bacia do Canal do Panamá

O lago Gatún, que já foi o maior lago artificial do mundo, é crucial para a operação do Canal do Panamá. Além de proporcionar aos navios menores um atalho para o Oceano Pacífico, serve de reservatório que fornece os milhões de litros exigidos por cada navio que cruza o canal. Nos últimos anos, o desmatamento reduziu o volume de água que a bacia do lago pode absorver. As consequências para o canal são óbvias. Os efeitos colaterais que ameaçam as comunidades vizinhas incluem escoamento que provoca sedimentação e poluição do gado que agora pasta às margens dos rios e tributários.

O Consejo Consultivo de Subcuencas de los Ríos Los Hules-Tinajones y Caño Quebrado (Consejo Consultivo), que leva o nome dos dois rios que formam a bacia ocidental do lago Gatún, foi fundado em 2002 para melhorar a gestão de bacias em 10 comunidades agrícolas onde vivem 3.000 panamenhos. As 22 organizações que compõem o Consejo Consultivo incluem o Conselho Rural de Água, grupos ambientais, associações de produtores, várias cooperativas e empresas e entidades de desenvolvimento local. Através de uma organização coordenadora, o Consejo Consultivo se beneficiou de recursos da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, Banco Interamericano de Desenvolvimento e governo do Panamá. Em 2006 os fundos acabaram, mas o Consejo Consultivo continua a se reunir mensalmente para identificar e priorizar questões locais e encontrar soluções efetivas de baixo custo. Embora seus membros tenham trabalhado juntos por mais de oito anos, o Consejo Consultivo não pode se registrar como organização sem fins lucrativos.

A Asociación Panameña para la Sostenibilidad de la Agricultura y la Naturaleza (APASAN) promove o desenvolvimento comunitário e conservação em todo o Panamá. Desde 2007 proporciona ao Consejo Consultivo capacitação e assistência técnica com seus planos para gestão do meio ambiente, reflorestamento e desenvolvimento de liderança organizacional. APASAN vai usar a doação da IAF para ajudar o Consejo Consultivo a criar e desenvolver uma associação paralela que possa ser legalmente constituída, um pré-requisito para receber recursos de doadores. O foco inicial da nova organização será o reflorestamento de 12 hectares da bacia superior e a APASAN vai ensinar aos habitantes das comunidades técnicas de reflorestamento e gestão de viveiros. A doação da IAF também vai habilitar o Consejo Consultivo a documentar sua própria narrativa, inclusive o papel fundamental das mulheres na organização, a gestão bem-sucedida de conflitos e a maneira como seus membros melhoraram a qualidade de vida de uma região e sua bacia.

Marcy Kelley, representante da IAF