You are viewing archived content
of the Inter-American Foundation website as it appeared on June 1, 2018.

Content in this archive site is NOT UPDATED.
Links and dynamic content may not function, and downloads may not be available.
External links to other Internet sites should not be construed as an endorsement of the views contained therein.
Go to the current iaf.gov website
for up-to-date information about community-led development in Latin America and the Caribbean.

Noticias

Print
Press Enter to show all options, press Tab go to next option

NOTICIAS

Mapeando as villas (favelas) de Buenos Aires

Post Date:10/13/2015 1:19 PM
Villa de Buenos Aires. Foto de Natalia Ferreyra_Ph15Mais de 250.000 pessoas vivem nas villas de Buenos Aires, assentamentos improvisados que abrigam alguns dos moradores mais pobres da cidade, muitos dos quais são imigrantes de interior e dos países vizinhos. Em vez de abordar a pobreza, a falta de serviços e a criminalidade nessas comunidades, as autoridades fazem vista grossa. A Villa 15, apelidada de Ciudad Oculta, não é visível nem da rodovia próxima, obscurecida por um muro construído para manter o bairro fora da vista e fora da mente. Até agosto deste ano a cidade de Buenos Aires recusou-se a colocar as villas nos mapas oficiais, exceto como bolhas cinzentas representando terras devolutas.

Isto significa que as villas não aparecem nos Mapas do Google ou nos serviços do GPS ou das utilidades públicas, as quais se baseiam em endereços oficiais. Ambulâncias e outros serviços de emergência transitam às cegas, perdendo minutos preciosos na luta entre a vida e a morte. Para tratar destas questões e restaurar a dignidade das villas, a donatária da IAF Asociación Civil por la Igualdad y la Justicia (ACIJ), uma organização de prestação de serviços às pessoas de baixa renda, fez parceria com os residentes e a Avina Foundation para exigir que essas comunidades figurem nos mapas. Com a ajuda da Wingu, outra entidade sem fins lucrativos, começaram elas mesmas a mapear os bairros. Quando a cidade cedeu, incorporou os dados nos mapas oficiais da cidade. A maioria das villas está agora claramente demarcada e as autoridades comprometeram-se a mapear as ruas e os espaços públicos restantes.

Embora as villas não existissem nos mapas, a IAF já tinha chegado a elas, graças às organizações de base que atendem as essas comunidades.

O Circo Social del Sur foi fundado em 2002 por Mariana Rufolo, com formação em educação alternativa, e por Pablo Holgado, um veterano do circo. Seu quadro de pessoal, na maior parte formado por ex-alunos, treina jovens da Villa 15, Villa 21 e Villa 24 de Buenos Aires em acrobacia aérea, ginástica em trapézio e dança. Os estudantes dominam aptidões que melhoram sua capacidade de comunicação, tomada de decisões, trabalho em equipe, acompanhamento de projetos e pensamento crítico.

A PH15 teve início em 2000, quando o fotógrafo Martín Rosenthal conheceu alguns adolescentes ansiosos da Villa 15 ou Ciudad Oculta. Em uma semana, os adolescentes encontraram um local para as aulas e recrutaram outros 10 jovens. Desde então, cerca de 50 estudantes vêm se reunindo com professores do quadro do centro comunitário que tem uma lista constante de 10 a 15 pessoas. Os jovens fotógrafos fizeram exposições na Argentina, Alemanha, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos, cuidando eles mesmos de todos os eventos: selecionar, sequenciar, montar, emoldurar e pendurar as fotos nas paredes.

O Enlace Social oferece a trabalhadores do setor de vestuário que enfrentam dificuldades na Ciudad Oculta e Villa Cildañez capacitação, assistência técnica e acesso ao microcrédito, bem como coordena suas iniciativas com os designers da moda para o lançamento de uma empresa dirigida pelos trabalhadores que desenvolverá uma marca e novos produtos.

Em colaboração com o conselho de bairro da Villa Infamable e com outros parceiros, a ACIJ está desenvolvendo um centro comunitário no qual 150 empresários adquirirão as aptidões e receberão o apoio necessário para tornar suas empresas mais competitivas e facilitar sua entrada na economia formal de Buenos Aires. A ACIJ também ajuda os moradores das comunidades pobres a se beneficiarem do pleno acesso a serviços sociais e inclusão econômica.

Return to full list >>